Tumblelog by Soup.io
Newer posts are loading.
You are at the newest post.
Click here to check if anything new just came in.

July 13 2015

17:49

Navego no teu corpo!

Navego nas tuas águas
que deixam em meu corpo
essa maresia de amor
visto-me de tua pele,
sirvo-me de teus segredos,
provo da boca doces beijos
entre desejos;
sentires e prazeres,
abrigando o meu amor
em teu corpo,
com tuas luas e mistérios;
rendido por inteiro a mim!

José Manuel Brazão



July 12 2015

14:14
13:53
09:01
04:52

July 11 2015

16:06

July 10 2015

20:54

SCORPIONS - SEND ME AN ANGEL


SHOW INESQUECÍVEL!!!
Como pode acabar uma banda dessas?
20:46

SCORPIONS - SEND ME AN ANGEL


SHOW INESQUECÍVEL!!!
Como pode uma banda dessas acabar?
20:02
11:55
09:37

LEVIATÃ


Às vezes perco a razão
Espanto as madrugadas
Só a terra parece aperceber-se
Que sou mais uma das almas penadas

Por favor! Por favor...
Ponham-se de pé
Aplaudam o poeta pateta
Por ser o tonto que é

Vai roto, meio nu
Com a alma pregada a água benta
Levo chapéu de vento fraco
Um saco vazio, com Deus um contrato

Comprei três maçãs
Uma mordi sem engano
Outra tinha escrito traição
A ultima quase me parou o coração

Deixem lá o poeta armado em Adão
O mesmo que pintou o nariz de giz
Não teria graça um mundo sem loucos
Eu cá por mim lá vou endoidando aos poucos

O que seria o Mundo sem Mar
Sem o imenso das coisas que vi
O que faria se não mais te pudesse sentir
Sem um caminho que me levasse a ti

Choveram castigos sobre a minha cabeça
Faltou-me a piedade e devoção
Perdi lágrimas na escuridão da incerteza
Já segurei a ternura à palma da mão

Que esperança ainda visto?
Abandonei o Deus das igrejas
Na ilha as hortênsias usam vestidos azuis
Glorifiquei o amor e acabei sempre na companhia da dor

Deixem para lá!
Lá vou eu enfeitando os sonhos
Lá vou trocando ilusões e versos
E carregando esta bruma nos ombros

Deixem lá estar
Vou vestir-me de linho e pobreza amanhã
Para ouvir a palavra amor na tua voz
Nem que seja no meio de um... LEVIATÃ...

July 09 2015

13:12

A GUERRA DOS LOBOS DENTRO DE CADA UM




QUAL DOS LOBOS VOCÊ TEM ALIMENTADO???

July 08 2015

21:20
15:14
Eltânia André; “o que falta é sempre o que me move em direção ao desconhecido e inusitado” (por Angelo Mendes Corrêa e Itamar Santos)
13:42

És diferente!


Mulher que me encantou,
pela sua entrega
de corpo e alma,
buscando em mim
o afecto e o carinho,
para no seu caminho
encontrar a paz,
a sabedoria de vida
que tanto carecia!

De braços abertos
a recolhi,
a serenei, a protegi,
para seus olhos brilharem,
seus lábios sorrirem
e eu sentir
que o amor é mesmo assim...

Dois corpos, duas almas
que se encontraram
ou reencontraram
numa vida comum
em que um completa o outro!

Talvez em vidas passadas
se cruzassem,
se aproximassem,
mas chegou o momento certo
desse amor acontecer
e ambos dizerem numa só voz:
és diferente!
José Manuel Brazão

08:22

July 07 2015

15:29
12:38
11:48

Bacante

embriaga-te, pois! eis o enigma: a vida é breve; a sede, tamanha. Lou Vilela * Um dos poeminhas escolhidos para publicação no Livro da Tribo - edição 2016/2017. Felicidade imensa participar desse projeto que tanto admiro, ao lado de muita gente querida!
11:03

LAGOA PURPURA


Era o nosso murmúrio das hortênsias
Numa barca navego nos olhos da vida
Na obscuridade de um gemido sou ilha perdida
Na consciência do amanhecer abro os olhos para não ver

Perscruto a voz calada
Amarro as mãos ao desentendimento
Não há nenhum barco pronto para partir
Neste silencio que envolve as paredes, neste cais de medos

É manhã de solidão
Sem sol na alma, sem paixão
Acendo uma candeia à oração
Transborda um cálice parado em meu coração

Não tenho rosto
Este corpo perdeu a voz
Esta ilha abafa a sombra que me ensombra
Entre mim e a saudade há apenas maldade

Nestas pedras onde moram séculos
Este mar sempre girando à volta
Este limite das montanhas separadas do céu
Tenho as mãos cansadas de saudade pelo fechar de uma porta

Conto todas as manhãs o despertar dos pássaros
À minha volta a luz foi sempre insuficiente
E no entanto esta alma persiste na alegria
Por consentir a tristeza vencida serei da terra o primeiro habitante

Nunca medi a longitude da distância
Nunca acreditei no querer sem esperança
Acredito numa mulher imensa dentro de um homem
Esqueço tudo na palavra de Deus...Amém

Todos os dias há um louco que me sorri
Nasci e fui agasalhado pelo vento
Chorei e fui abraçado pela chuva
Amei e num soluço só recordo um momento

Hoje não era dia para abraçar a poesia
Não dormi, vagueei pela ilha numa noite fria e dura
Dei por mim sem saber onde estava no meio da água
Estranhamente mergulhado numa...LAGOA PURPURA...
Older posts are this way If this message doesn't go away, click anywhere on the page to continue loading posts.
Could not load more posts
Maybe Soup is currently being updated? I'll try again automatically in a few seconds...
Just a second, loading more posts...
You've reached the end.

Don't be the product, buy the product!

Schweinderl